Ao final da década de 70

O professor titular da Escola de Direito da Universidade de Harvard, Roger Fisher, junto com um importante grupo de colegas criaram o Projeto de Negociação de Harvard, negociação baseada em princípios, com o objetivo de investigar e desenvolver teorias e práticas sobre negociação e resoluções de conflitos.

As teorias e ferramentas desenvolvidas no Projeto de Negociação de Harvard começaram a ser aplicadas com sucesso em questões de grande impacto internacional, como os “Acordos de Camp David” – entre Egito e Israel -, além de diversos outros conflitos internacionais cujas resoluções foram facilitadas pela aplicação direta destas técnicas

1979

1981

Foi publicado o livro Getting to Yes. Revisado e atualizado em 1991, o original foi escrito pelo fundador e diretor do projeto professor emérito da Universidade de Harvard, e hoje falecido, Roger Fisher, em conjunto com William Ury e Bruce Patton.

As ideias desenvolvidas no Projeto de Negociação de Harvard e publicadas no livro correram o mundo. Além das ferramentas, o método desenhou um processo de negociação que promoveu uma quebra de paradigma, resultando em outra maneira de se entender os processos de negociação.

Um grupo de fundadores do Projeto de Negociação de Harvard entendeu que as ideias e ferramentas seriam igualmente transcendentes se fossem aplicadas no campo das empresas e organizações.
Foi assim que, em 1984, Roger Fisher e um importante número de companheiros fundadores do Projeto de Negociação de Harvard criaram a CMG e a CMI. As organizações se dedicaram a projetos de contextos e naturezas diferentes nos mais variados lugares.

1984

CMG

CMG é estabelecida como uma organização sem fins lucrativos com o objetivo de facilitar processos complexos de negociação entre governos e movimentos políticos-sociais, e para apoiar estruturas de projetos humanitários. Seus consultores realizaram workshops e atuaram como facilitadores e mediadores em situações tais como:
As negociações entre o governo de El Salvador e o grupo guerrilheiro Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional;
Promoção de acordos de paz entre gregos e turcos no Chipre;
Colaboração com o último governo de minoria branca da África do Sul e os principais líderes do Congresso Nacional Africano, prestando assistência no processo de reconciliação;
Assessoria na Colômbia na implantação do programa “Ensinando Tolerância” em Antioquia (treinando facilitadores em uma das regiões com mais altos índices de homicídios no mundo);
Facilitação de negociações entre as várias novas repúblicas da extinta União Soviética.

A CMI foi criada como uma empresa dedicada à consultoria e capacitação no mundo empresarial, fundamentalmente focada na melhoria dos resultados da negociação, mediação e evolução das relações trabalho. Desde sua criação, os seus profissionais trabalharam com empresas e organizações de relevância mundial tais como: IBM; J.P. Morgan; AT&T; Banco Mundial; Banco Interamericano de Desenvolvimento; Bank of America; Citibank; Eastman Kodak; Reebok; Sotheby’s International; e os Ministérios de Relações Exteriores da Alemanha, Colômbia, Finlândia, Grécia, entre muitos outros.

CMI

1990

No início dos anos 90, foi criado o Grupo Latino Americano de trabalho da CMI (Latin American Practice Group) com o objetivo de integrar a experiência dos profissionais que trabalham em projetos da CMG e da CMI foco específico nas necessidades da região latino americana. 

Os profissionais integrantes da CMG e da CMI decidiram concentrar seus trabalhos em suas áreas de interesse. Assim, surgiram diferentes organizações que, até hoje, continuam desenvolvendo trabalhos de maneira independente e, em diversas situações colaboram e se associam em projetos, gerando sinergia para atender melhor as necessidades de seus clientes, valendo-se das habilidades de cada um.
A partir de uma das áreas comum de interesse, foi criada a CMI International Group, que tem o foco do seu trabalho no continente americano.

1997

2000

De maneira ininterrupta a CMI continuou realizando os Workshops de Negociação nas instalações da Universidade de Harvard. Onde o corpo de professores é formado pelos diretores da CMI em conjunto com professores e diretores do Projeto de Negociação de Harvard, entre eles Bruce Patton (coautor do Getting to Yes), Howard Raiffa, Brian Mandell, Rachel Viscomi, Michael Watkins, Mark Gordon, Danny Ertel, Jeff Weiss, Stuart Kliman, e Robert Ricigliano.

Mesmo sendo uma empresa histórica, a CMI não parou o seu progresso e procurou complementar a Teoria e Ferramentas do Projeto de Negociação de Harvard com contribuições da nova ciência comportamental e psicologia moderna. Criando, dessa maneira, novos módulos de formação destinados a melhorar as habilidades de negociação, comunicação e interação, em todos os contextos.

2002

2016

Por estar em constante evolução, em 2016, a CMI International Group se transforma em CMI Interser – uma nova marca para representar melhor quem realmente somos. E somos diversos e ecléticos.