Sem dúvidas, quando nos referimos às relações humanas, uma série de fatores podem ser pensados, e entre eles, as emoções costumam ganhar um destaque especial. 

As emoções são componentes humanos importantes, e não há, portanto, como viver sem elas, desse modo, elas se fazem presentes em todos os contextos da nossa vida. 

No campo dos negócios, as emoções podem ser tomadas como vilãs ou heroínas, já que a depender do contexto, elas podem ser bem aproveitadas e em outros momentos podem, inclusive, vir a se tornar um empecilho, principalmente em ambientes que demandam uma complexidade maior. 

Um bom exemplo do uso das emoções pode ser notado em uma negociação, que em termos gerais é bem comum no mundo empresarial, pois, como sabemos, em momentos de tensão é quase impossível que elas não apareçam. 

Nesse cenário, também não é raro surgir situações que envolvam a chantagem emocional dentro da negociação, sobre esse assunto, vamos entender um pouco melhor a seguir, confira.

Homens de negócio usando de chantagem emocional

O que é chantagem emocional? 

Em termos gerais, a chantagem emocional pode ser entendida como uma forma de manipulação, onde determinada pessoa se utiliza dos pontos fracos de outrem para conseguir obter dele ou da situação alguma vantagem. 

Sendo assim, a chantagem emocional pode estar presente em diversos contextos da vida, aparecendo, especialmente, em ambientes que demandam um certo tipo de negociação, onde busca-se prevalecer as vontades de apenas uma parte. 

Geralmente, quando ocorre a chantagem emocional, é comum uma das partes não perceber o que de fato está acontecendo, o que em muitos casos permite que ela continue acontecendo sem grandes interferências. 

Por isso, a chantagem emocional costuma reunir uma série de comportamentos tóxicos, no qual uma das partes, certamente, sairá lesionada em maior ou menor grau, o que destoa completamente dos objetivos de uma negociação bem sucedida. 

Dois homens firmando um compromisso e uma mulher ao fundo

Uma negociação bem sucedida é uma ponte para parcerias duradouras 

Como vimos, as emoções estão presentes no nosso cotidiano, e possuem um destaque todo especial nos momentos que demandam decisões complexas e sobre pressão, por exemplo. 

Sendo assim, quando falamos em negócios, para obter uma negociação bem sucedida o segredo principal é saber acolher a emoção e utilizá-la a favor do objetivo ali buscado. Pois como sabemos, dificilmente conseguiremos controlar quando elas insistem em aparecer.

Ao contrário de algumas pessoas, que costumam pontuar que emoções e negociação não podem se misturar, elas funcionam também como uma maneira de fortalecimento da relação ali buscada, através, principalmente, da empatia.  

Mas para que isso de fato aconteça, é preciso que o sujeito possua o autoconhecimento necessário, que em termos gerais, se refere ao conhecimento de suas fraquezas e potencialidades e de entender como utilizá-las a seu favor, sem colocar a negociação em risco, por exemplo. 

De fato, essa característica pode contribuir para o sucesso em muitas negociações, permitindo trocas de ideias mais assertivas e empenhadas na resolução de conflitos, resultando, portanto, em parcerias mais duradouras e benéficas para ambas as partes envolvidas.

O que segundo especialistas do mercado deve ser um dos objetivos principais de qualquer negociação.

Agora que você já sabe mais sobre esse assunto, entre em contato conosco e saiba mais sobre nossa atuação com capacitação e consultoria.

Equipe CMI Interser

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados